sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Memórias Juvenis de Babi Guerreiro

Hoje eu acordei com uma sensação de melancolia tão grande, uma saudade da minha adolescência, e principalmente dos velhos amigos, daqueles com quem eu passava a maior parte do tempo.
Ouvindo música, fazendo poesia, andando de bicicleta, tempo gostoso... quando não precisavamos nos preocupar com o vencimento das contas, em levar filhos à escola...rsrs... crescer, amadurecer, ter responsabilidades faz parte da vida, mas como negar essa saudade dessa época de falsa inocência, quando achavamos o mundo um lugar à ser transformado, ao ouvir a Legião Urbana bradando em alto e bom som: Que País É Este? Tudo que eu almejava era trabalhar com Fotografia Jornalistica, sair por ai em cima de uma moto congelando momentos inesqueciveis, ao som do U2, rsrs... sem teto, sem compromisso, independente, só com meia dúzia de roupas na mochila e uma idéia na cabeça... Ser livre!!!
Era isso que eu queria ser quando eu crescesse... mas a vida tem caminhos misteriosos, a Fotografia se tornou um hobby, o Jornalismo está em stand by, independente? Sim, sou dona do meu nariz, fui a primeira entre os amigos em adquirir minha casa própria e independência financeira, aos 20 anos, uma grande conquista!
Mas tenho mais compromissos do que quis na vida...rsrs... casei, 2 vezes, e da primeira união que durou num total de 11 anos tive minha filha que hoje tem 4 anos e meio.
Não existem arrependimentos... nem duvidas, só saudades... gostaria de passar mais tempo com esses amigos, vê-los com mais frequência, recordar os bons tempos, quando nossa unica preocupação era não ficar de recuperação naquela matéria chata, porque isso podia acarretar um castigo terrivel: não poder sair nas férias com os amigos!!!
Que saudade do meu coletinho jeans, pixado, inseparavel no ginásio, meu all star preto cano alto, meu babuche, meu walkman amarelão, tocava minhas fitas favoritas e consumia pilha como só...rsrs... hoje ando com meu mp3 ouvindo quase sempre as mesmas músicas que antes... "tempos mudernos"... velhos costumes...
Continuo andando de bicicleta, por outras ruas, outros bairros, sai da periferia para o centro urbano, continuo usando tênis, mas não o all star... e continuo acreditando que posso transformar o mundo num lugar melhor, estudei Teologia, me tornei estudiosa também de antigas culturas, encontrei as religiões matriarcais, virei Ecofeminista... hoje tento unir minhas ideologias e coloca-las em pratica para que esse mundo seja um lugar bom pra minha filha crescer, há muito o que fazer é verdade... mas sou uma virginiana otimista, que quer encontrar sua utilidade no mundo!
Continuo trabalhando por minhas ideologias, acreditando nelas e muitas vezes pagando caro por elas, mas eu não paro de caminhar, a estrada é longa e eu tenho fôlego!
E enquanto aguentar vou enfrente sem parar.... talvez a liberdade seja um estado de espirito, pois nunca me senti tão livre!!!
Dry, Mara e Eu - Revellion de 1998 - Amigas de infância, estão comigo há mais de 20 anos, não imaginaria minha vida sem elas!!!

3 comentários:

Tere Marques disse...

Q bom ler suas memórias, me leva a refletir sobre minha juventude recem deixada p trás..rs
É sempre um prazer visitar seu blog Babi, qd crescer quero ser como vc....rsrs Bjs

Iony disse...

Ai babi, que texto mais lindo!!! Eu ja passei por isso, por esse saudosismo onde eu achava q todo mundo tinha tb, tanto qto eu. Aí qdo nos reunimos, as velhas ideas ficaram velhas para a maioria e eu era a unica q acreditava q podia fazer alguma coisa, os outros preferiram se render e viver de reclamações. Não foi saudave, não foi bacana, teria sido melhor fciar só an saudade. Eu achava q todo mundo tinha ficado na mesma vibe...mas se entregaram ao cancer do conformismo.

Ai como eu quero q vc não tenha a mesma sorte q tive, q seus amigos tb estejam se empenhando em fazer algo por nosso planetinha azul!

Bom fim de semana pra vc!!

Bjos!

Pietra disse...

Amei tb!
Obrigada por me linkar... e já favoritei!