segunda-feira, 17 de maio de 2010

Reflexões de Alice

A maioria de nós que assistiu Alice No País das Maravilhas desejou por alguns segundos seguir o coelho branco e cair num buraco que nos levasse a uma realidade alternativa, e mais do que isso... que essa experiência nos transformasse em pessoas mais decididas, corajosas, impetuosas.
O que a maioria de nós se esquece é que esse buraco que nos leva para essa realidade transformadora existe dentro de cada um de nós, o equilibrio e a impetuosidade reside em nós. A grande dificuldade está em acessar essas coisas que as vezes estão sobre camadas profundas de nosso inconsciente.
E então numa experiência libertadora, seja ouvindo uma música, lendo um livro, assistindo um filme nos encontramos frente aos nossos dramas, limitações, é como se estivessemos nos olhando no espelho.
E quantas vezes eu quis correr ao me enxergar em algumas situações... rsrs... que depois se mostraram curadoras, sim... curaram meu interior, me ajudaram a despertar meu Self Jovem, aquele com que trabalhamos na magia.
É importante o Self Jovem manter-se ativado e estimulado, trabalhar com arquétipos e simbologias faz parte desse sistema de despertar do Self.
Hoje assistir um filme como Alice ajuda a manter meu Self ativo, mas do que mera diversão... sou muito mental, tudo estimula minha mente, desde que descobri isso tento tirar proveito dessa facilidade!
Descubra sua maneira de ativar o seu Self, seja cantando nu na chuva, dançando... não tenha vergonha, essa é a parte mais autêntica de nós mesmos... e Alice no país das maravilhas nos lembra nossa infância e toda a inocência de viver plenamente.
Esse exercicio das 6 coisas impossiveis para se pensar todos os dias antes do café da manhã proposto pelo pai de Alice é algo que ajuda a mente a devanear... e assim ativa seu Self.
O Mundo Subterrâneo é nosso interior, a Rainha Vermelha e a Rainha Branca são as nossas contra-partes, toda a luz e sombra que reside em nós... cabe a cada um de nós descobrir como conviver com elas... como a própria Alice o faz.
As pessoas complicam suas próprias vidas quando deixam a responsabilidade por sua felicidade e bem estar nas mãos de terceiros, tudo o que precisamos está dentro de nós e em nenhum outro lugar.
Todo o amor, apreciação, respeito, se não despertarmos ele dentro de nós por nós mesmos, nem todo o amor devotado bastará.
Jamais nos sentiremos completos, plenos... essa é a chave da verdadeira e autêntica felicidade!


Uma boa noite de Reflexões para todos nós... abençoados sejam...
Babi Guerreiro

4 comentários:

Rose Ramos disse...

.
Oi Babi

Muito legal a sua leitura sobre o filme!

Agora eu compreendi porque, quando criança, eu não gostava de ler Alice no País das Maravilhas.
Sempre fui meio Perséfone, desde criança e provavelmente a leitura ativava mais ainda meu mundo subterrâneo, que eu não sabia lidar muito bem na época.
Agora compreendi...rsrsrsrs...

E tão verdadeiro o que você disse: se não amarmos e respeitarmos a nós mesmos, nenhum amor devotado bastará, jamais nos sentiremos completos e plenos...

Estou aprendendo isto, embora seja tão difícil aplicar na vida do dia a dia, mas estou tentando...rsrsrs.

abraço,

Rose


.

* Fada * disse...

*Babi Guerreiro !!! *

*Boa tarde !!!!

*Cheguei aqui através do blog da

Thaimi ("Trilhando o Caminho) e

estou apreciando muito os posts

deste blog !

*Como faço para seguí-lo ?!

*Bom final de semana !!!

*Um abraço.

P.S. - Estou querendo assistir este

filme !!! (Parece ser muito

interessante !!!).

* Fada * disse...

*Babi, consegui TE SEGUIR !!!

(kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk).

Achei a "caixinha" no final da

página, lado direito !

*Babi, tenho uma pergunta

aqui : o que é "Ativismo Pagão" ?!

*Você poderá me explicar ?!

*Obrigada !!!

Ralf e Pri disse...

nossa, ler seu blog é sempre inspirador pra mim
fantastico como você fala das coisas que estou passando, como fala comigo sem sequer saber que eu existo...

Pri
http://chibiquimera.blogspot.com/